A Aprendizagem Baseada em Simulação, estratégia prática que prepara os participantes, para atuação em situações reais, vem se destacando entre as metodologias ativas de ensino-aprendizagem, por promover o desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes, em ambiente seguro, de forma ética, através do contato com modelos, protótipos e pacientes simulados.

Trata-se de metodologia racional para treinamento de habilidades, desde as básicas e simples (capacidades cognitivas, afetivas e psicomotoras mobilizadas em determinado contexto para a realização de tarefas) até as mais
complexas, envolvendo aspectos comportamentais (atividade global ou conjunto de atos de um indivíduo perante uma situação), e que permite ao aprendiz atuar com proteção e segurança, havendo a possibilidade da repetição de uma tarefa inúmeras vezes (BEAUBIEN; BAKER, 2004). Este método também associa a aprendizagem autodirigida dos estudantes/profissionais à experiência do tutor, no momento de escolha da sequência de casos simulados, com o intuito de desenvolver não apenas habilidades psicomotoras, mas também habilidades de comunicação e de tomada de decisões. Para incremento da performance dos treinandos, pode-se planejar a utilização de fatores de confusão (distratores) que podem, frequentemente, ocorrer na prática real e que irão auxiliar na motivação e envolvimento dos treinandos.

A forma de estruturação dos casos simulados possibilita o desenvolvimento de ideias que permitem envolvimento significativo dos estudantes/profissionais nas discussões de condutas a serem tomadas, baseadas na presença ou não de recursos humanos, diagnósticos e terapêuticos, nos diferentes níveis de atenção à saúde (primário, secundário ou terciário).

A aprendizagem acontece, primordialmente, quando os estudantes/profissionais estão imersos na prática, participando e colaborando na ação. Esta participação inclui ainda a resolução de problemas, discussão
de dilemas éticos utilizando o pensamento crítico e julgamento de situações difíceis, da mesma forma que ocorre com uma equipe, ao lidar com os desafios de assistência aos pacientes na vida real. Os cenários podem ser relativos às várias áreas do conhecimento, em diversos etapas de formação e com diferentes níveis de complexidade e autenticidade (LATEEF, 2010).

O OBJETIVO GEARAL DO CURSO é desenvolver a Capacitação de multiplicadores em Simulação Clínica para colaboradores da EBSERH (docentes, preceptores não docentes, gestores e profissionais da área de saúde,) no intuito de qualificar a atuação (em ensino, pesquisa e extensão) dos centros (polos) de treinamento referenciais, através de simulação.